terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Religiões Existentes no Município de Antonio Cardoso

As explicações para a origem do Universo fundamentadas em mitos e deus (es) chamam cosmogônia. Elas podem ser: mitológicas e religiosas.
a) A palavra “mito” vem do grego “Mytho” – narrativas criadas pelo imaginário de um povo.
b) O termo “religião” origina da palavra latina “Religare” – ligar novamente.

Características gerais de:
I) Religião: pode apresentar apenas uma ou mais características listadas abaixo.

Acredita em vida após a morte;
Algumas possuem Profeta;
Possui Templos (igrejas) e Líder (Coordenador ou Administrador) da comunidade;
Algumas religiões seguram os fiéis usando o medo, a culpa e a intimidação às invenções mitológicas ou de ficção literária como satanás, exus, deus, salvação, etc;
Exige contribuição financeira dos fiéis ou seguidores;
Tem Livro Sagrado (Regras da Doutrina);
Público frequentador: familiares, assassinos, pedófilos, gays, ladrões, prostitutas, trapaceiros, etc.
Possui elementos mitológicos: ex. as religiões cristãs creem em um só deus, santos (católica), anjos, arcanjos, querubins, serafins, etc. “Equivalentes aos deuses mitológicos gregos.”
Classificação quanto a adoração de deus (es): monoteístas, dualistas e politeístas ou panteístas;
Quanto ao modo de explicar a morte as religiões podem ser da: Reencarnação, Ressurreição e Incorporação na natureza ou encantamento;
Apresenta verdades inquestionáveis. Como seria a vida se todos pensassem iguais?;

** Os conflitos entre as religiões, geralmente, são motivados por interesses políticos e econômicos ocultos. Ex.: As igrejas arrecadam R$ 21 bilhões de reais por ano no Brasil, isso estimula a concorrência entre as igrejas por fiéis.

II) Mito

Verdade psicológica (imaginária), ou seja, só existe como símbolo cultural criado pelo homem;
Aborda aspectos das tradições culturais de uma coletividade (sociedade);
Apresenta verdades inquestionáveis sobre os feitos dos deuses sobre a vida do homem;
São explicações primarias para a origem do universo e os problemas que afetam a humanidade; 
Mitos Hoje: os ídolos das artes, dos esportes, das ciências, da TV, doenças mentais: fobia, etc.

As religiões presentes no município são de três origens diferentes: Convivência com à Natureza, Cristianismo (católico e evangélico) e Afrobrasileiras.

A igreja é o contato direto com o meio ambiente, Umburanas
CONVIVÊNCIA COM A NATUREZA 


O modo de viver em harmonia com a natureza herdou alguns elementos da religião dos povos indígenas: Pajelança ou Xamanismo. Defende que as divindades se comunicam com os humanos através dos seguintes canais: reprodução da espécie, alimentação, sono, luz solar, respiração do ar e no consumo da água. De nada adianta dizer que acredita em Deus e destruir as vidas da natureza para acumular riquezas.


A Pajelança (Xamanismo) é discriminada por pessoas de baixa formação, desconhecimento ou intencional.

Xamã ou Pajé é o líder espiritual e defende respeito absoluto a Mãe Natureza;
Culto á Natureza
Elementos Mitológicos: “equivalentes aos deuses mitológicos gregos.”
Politeístas (vários deuses): ex. as tribos de língua Tupi adora o deus Tupã e outros. O povo Tupi acreditavam que viviam rodeados de espíritos, gênios e demônios. Acreditava também na vida após a morte e reencarnação. Defendiam que o raio e o trovão (fogo sagrado que facilita a alimentação do homem) eram a manifestação do deus Tupã. Também considerava o Anhangá e o Caapora protetores da caça;
Algumas tribos indígenas consideram a existência de espíritos do mal como ex. Canaimé;
Em algumas tribos o Xamã usa substâncias de plantas nos rituais religiosos e em outras não;
Indicam o uso de plantas medicinais para combater ou tratar as doenças ou o mal;
No geral todas as nações indígenas concordam que o homem possui um espírito. 




CRISTIANISMO: Católico e Evangélico



O Cristianismo tem seus fundamentos no Zoroastrismo e no Judaísmo.

a) O Zoroastrismo (Pérsia – atual Irã). Influenciou diretamente o Judaísmo e indiretamente o Cristianismo.
Criada pelo poeta Zoroastro ou Zaratustra (viveu entre 628 a.c e 551 a.c);
Livro Avesta ou Zend-avesta ou Gâthâs;
Elementos Mitológicos: “equivalentes aos deuses mitológicos gregos.”
Defende a existência de dois deuses oposto: Ormuz (Ahura-Masda) – bem e Ahriman – mal;
Ormuz é auxiliado por outros deuses ou gênios benfeitores como Mitra e seis anjos para governar o Universo e combater Ahriman. Cada anjo possuí características especificas como: mente sã, ordem, sensatez, piedade, bem-estar e imortalidade. Durante o culto os fiéis adoram o fogo.
O homem nasce bom e é livre para escolher entre o caminho do bem ou do mal, mas responderá no dia do juízo final pelas ações praticadas durante a vida;
Após três dias da morte a alma é julgada por suas ações praticadas na vida. Aqueles que praticam boas ações são salvos para viverem a vida eterna no paraíso. Aqueles que praticam o mal, a alma tomba no abismo das trevas e da dor;
Se as boas ações se igualarem as más ações a alma fica em uma espécie de purgatório;
No fim dos tempos o bem vencerá o mal e iniciará um período de felicidade na terra;
Estima-se que hoje possua aproximadamente 200 mil fiéis no mundo, principalmente na Índia, Irã, EUA e Paquistão;
Vários princípios do Zoroastrismo influenciaram o Maniqueísmo e o Judaísmo (religião de Jesus), por sua vez, foram transmitidos às religiões que surgiram a partir do último, como o cristianismo e o islamismo. Dentre os princípios que as três religiões monoteístas herdaram do Zoroastrismo destacam-se: a concepção de juízo final, a ressurreição dos mortos, salvação dos mortos, eternidade no céu ou no inferno, paraíso, fim dos tempos, purgatório, crença no bem vencer o mal no julgamento final ou no fim dos tempos – ideia do apocalipse, oposição entre bem e mal e céu e inferno, uso da luz do fogo nos rituais, etc.       

b) O Judaísmo – Antigo Testamento (Hebreus ou Judeus – atual país de Israel): Defende a vinda de um Messias ou Cristo - libertador.
O povo Israelita foi dominado pelos Mesopotâmicos - destrói o Templo, Persas, Gregos, Egípcios, Sírios - Selêucidas dominam a Judéia e por fim os Romanos forçaram a dispersão dos judeus;
Durante o domínio Persa sofreu a influência e incorporou alguns princípios do Zoroastrismo como: a concepção de juízo final, salvação das almas que merecessem, purgatório, vida eterna no paraíso, ressurreição dos mortos, fim dos tempos, oposição entre céu e inferno e a crença que o bem vencerá o mal nos fins dos tempos, uso da luz do fogo no culto - acende vela nos rituais ou vela o morto etc;  
A religião fundamenta unicamente nos ensinamentos do Antigo Testamento;
Os israelitas se consideram o único povo escolhido por deus para ser salvos.
Acreditam na promessa da vinda de um Messias - libertador, para libertar a população do país de Israel da dominação dos outros povos (países). Essa crença junta com o Zoroastrismo e origina a literatura apocalíptica (fim dos tempos) de Daniel e Isaías, depois influencia João a escrever seu apocalipse. Hoje a literatura apocalíptica exerce maior influência sobre os grupos cristãos Evangélicos;    
Os seguidores do Judaísmo não aceitam Jesus como o libertador nem o Novo Testamento como escritos sagrados. Considera que o mal existente na humanidade foi gerado pelo pecado de Adão e Eva;
Elementos Mitológicos: “equivalentes aos deuses mitológicos gregos.”
Simplificou a contradição Zoroastrica de dois deuses em um só Deus (Iavé ou Jeová) capaz de julgar as ações humanas em boas ou más. Existe também os anjos, arcanjos, querubins, serafins, etc.
Defende a existência do espírito inferior – Satanás ou Demônio.
Principais festas das Tradições Judaicas: Páscoa, Pentecostes, Tabernáculos, Dedicação do Templo, Expiação, Ano Novo e Purim;
Correntes do Judaísmo na época que foram perseguidos por Roma e quando Jesus nasceu:
Saduceus (Sacerdotes ou aristocratas): apoiavam os romanos e aceitavam a cultura greco-romana. Rejeitavam a tese da ressurreição e seguiam as leis judaicas escritas;
Escribas ou rabbi (em sua maioria eram Fariseus): conhecedores e comentadores da Lei judaica;
Zelotes (pode ter surgido dos Fariseus): defendiam o Messianismo – a vinda de um libertador. Usavam a guerrilha para eliminar os adversários – saduceus e os estrangeiros (greco-romano).
Piedosos (Hasidim): resistiam o processo de dominação e absorção da cultura grega pelos judeus, no início, a resistência foi liderada por Matatias e depois por Macabeu. Depois se divide em:
Fariseus: aceitam as leis escritas e a tradição antiga, pregam a resistência passiva nas cidades e vilas e submetem ao poder romano desde que respeite a liberdade religiosa;
Jacuípe, Foto por Telito Rodrigues
Essênios: eram rigorosos nos rituais judaicos e se isolaram no deserto, criando a comunidade de Qumran para não sofrerem influências da cultura greco-romana. Aceitam a influência do Zoroastrismo como a dicotomia entre bem e mal, céu e inferno, etc. Mais tarde transmitem essa concepção mais a noção judaica de um Deus e o espírito inferior do mal que é o Satanás para o cristianismo. Nesta ramificação judaica destaca-se a figura de João Batista por ter iniciado (batizado) Jesus nas tradições religiosas. Jesus - era de origem judaica - tentou libertar a etnia judaica ou israelense da dominação de Roma, mas terminou assassinado pelos sacerdotes judaicos e os governantes romanos por lhe considerarem uma ameaça para Roma. 
Oleiros
Os pobres que seguiam Jesus na esperança de melhorarem de vida deram continuidade aos seus ensinamentos, originando a nova seita judaica. A qual foi denominada com o termo grego “Cristianismo” - libertador - em homenagem a Jesus. Acredita que após a morte cada um será julgado por Deus no dia do juízo final. Conforme suas ações boas ou más praticadas durante a vida pode ser absolvido ou condenado. Se for absolvido viverá no paraíso infinito dos céus. Se for condenado sofrerá eternamente no inferno. 

Umburanas
Saulo ou Paulo, ex - perseguidor dos cristãos e falava grego, depois que se converte a seita, prega para os povos que não eram judeus. Foram descobertos recente os Manuscritos do Mar Morto (trechos desconhecidos da Bíblia). Está guardado em segredo, ou seja, só os chefes das religiões cristãs e judaicas sabem do que eles tratam. Após o Império Romano ser invadido pelos povos bárbaros (estrangeiros) ocorreu várias discordâncias entre as regras da seita judaica-essênica-cristã com as tradições dos bárbaros. Para resolverem esses conflitos doutrinais, os representantes de vários grupos seguidores dos ensinamentos de Jesus se reuniram (concílios) várias vezes, a partir do século IV d.c, para discutirem os assuntos discordantes e aprovarem as regras gerais das comunidades cristãs. Mais tarde essa assembleia geral ficou conhecida por Igreja Católica - Assembleia Universal.

Poço
Os teólogos cristãos criaram os movimentos Patrístico e Escolástico, que foram o uso dos argumentos da filosofia grega pagã na justificação da fé, para chegarem a um consenso sobre as regras que garantiriam a organização da ramificação cristã. As regras aprovadas pelos representantes das comunidades deveriam ser comum para todos os grupos. A doutrina cristã aprovada pelas assembleias sofreu influência do Gnosticismo, das escolas filosóficas grega Neoplatônica e Estoica. Dentre as principais regras inventadas, discutidas e votadas pelas assembleias destacam-se: Jesus era divino ou humano, dogma da trindade (deus é Pai-Ser, Filho - Alma do mundo, e Espirito Santo – Inteligência), Imaculada Conceição – Maria teria dado a luz do menino Jesus sem ser fertilizada por um homem (os deuses gregos tinham filhos com os humanos), verdades reveladas e a graça, a tese da liberdade e salvação, prova da existência de deus, culto as imagens, autoridade universal do papa, conciliação entre fé e razão. Os católicos aceitam todas, alguns evangélicos atuais aceitam as seis primeiras. 
Porém, na época, alguns grupos discordaram das regras que foram aprovadas pela maioria dos representantes dos grupos cristãos. Alguns grupos discordantes ficaram conhecidos por Heréticos (discordantes das regras aprovadas pela maioria) e outros grupos discordantes deram origem as igrejas ortodoxas (seguem as primeiras regras retamente). Paulo e Agostinho de Hipona são os maiores inventores do cristianismo. Mais tarde outros grupos cristãos discordaram das práticas das autoridades da Igreja Católica e criaram a ramificação Protestante ou Evangélica. Assim foi se formando as várias correntes diferentes da seita judaica-essênica-cristã até a atualidade. As principais correntes cristãs são:  

1. Católica Romana: aceita a autoridade do papa;  
Fazenda Cabana, Por CCB 
2. Ortodoxa (seguem as primeiras regras retamente) - Cisma: chefe o patriarca de Constantinopla;
3. Herética (discordantes das regras aprovadas pela maioria): PESQUISE SOBRE CADA GRUPO - Nestorianos, Coptas ou Arianismo, Dióscoro de Alexandria – monofisismo, Pelagianismo, Cátaros (puros) ou Albigenses, Valdenses, Milenarismo, Bogomilismo, Patarinismo, etc.

4. Protestantes (Evangélicos): século XVI.
I) Tradicional: Luteranos, Calvinistas, Anglicanos, Presbiterianos, Congregacionalismo, Metodistas e Confissões Batistas;
II) Modernos: Mórmons, Adventistas, Testemunhas de Jeová, Pentecostal e Neopentecostal;
 
Os textos bíblicos foram escritos em três idiomas: aramaico, hebraico e grego. A tradução da Bíblia para o português sempre apresenta erros e enganos de interpretação do tradutor ou falta palavras no vocabulário português com sentidos equivalentes aos usados no idioma de origem do texto;   
O Novo Testamento foi concluído por volta do ano 95 d.c;

Os escritos bíblicos influenciaram o surgimento do Islamismo (Arábia Saudita);
Criado por Maomé (nasceu no século VI d.c) e codificado no Livro Alcorão;
Elementos Mitológicos: “equivalentes aos deuses mitológicos gregos.”
Entidade Suprema: Alá. Existe também os anjos, etc;
Aceita a existência do espírito do mal – Satanás ou Demônio.
Principais Correntes Islâmicas:
Sunita: defende que o chefe de Estado é pecável e aceita os escritos das Sunas;
Xiita: considera o chefe de Estado infalível e só pode ser ocupado por parentes de Maomé.

O Estado do povo judeu (Israel) só veio a ser criado em 1948 pela ONU, na Palestina dos Islâmicos.
 
Existe também no município os frequentadores da Batista que realizam culto no colégio estadual, os seguidores da Igreja Mundial, os seguidores da Testemunha de Jeová e alguns seguidores do Espiritismo.










Espiritismo

O Espiritismo é uma seita sistematizada pelo francês Denizard Hippolyte Léon Rivail (pseudônimo - Allan Kardec). Faz a re-leitura do cristianismo unindo com a ideia de reencarnação do Orfismo da Grécia Antiga e com o Positivismo (apologia à Ciência) do filósofo francês Auguste Comte. O Positivismo levou a ciência provocar tragédias. Kardec pretendia transformar o Espiritismo uma religião científica dos espíritos.  
O Espiritismo resgata o princípio da reencarnação do Orfismo da Grécia Antiga. As principais características do Orfismo grego são: Criado pelo poeta Orfeu (século VII a.c) e aceita pelo sábio Pitágoras, defende a imortalidade da alma, acredita na punição pós-morte pelas más ações cometidas durante a vida, a alma está condenada a viver no “círculo penoso” de encarnação ou reencarnação a alma migra de um corpo para outro através da metempsicose ou transmigração da alma (o filósofo Platão usa esse conceito para fundamentar sua Teoria do Conhecimento baseada na reminiscência)  e os ritos secretos órficos podem evitar o “círculo penoso” de reencarnação da alma.



AFRO BRASILEIRAS


As religiões afro-brasileiras são discriminadas por pessoas de baixa formação, desconhecimento ou intencional. As principais são: Candomblé (Bahia e outros Estados), Umbanda (presente em todos os Estados), Xangô (Recife), Xambá e Catimbó (Estados do Nordeste), Tambor de Mina (Maranhão), Omolocô (Rio de Janeiro), Batuque (Pará e no Sul) e Jurema.






Candomblé
Tradições Iorubá;
O culto é dedicado a algum santo católico e realiza na casa do praticante, seguido de samba;
Elementos Mitológicos: “equivalentes aos deuses mitológicos gregos.”
Entidade Suprema: Olodumaré. Existem os Orixás  Ex.: Ogum, Nanã, Xangô, Iemanjá, etc.

Umbanda
Funde alguns princípios da tradição religiosa africana com o espiritismo, o catolicismo e as tradições indígenas;
De origem genuinamente brasileira e concentra seus rituais em terreiros;
Elementos Mitológicos: “equivalentes aos deuses mitológicos gregos.”
Entidades Supremas: Obatolá – Deus supremo, Oxalá – Jesus Cristo e Ifá – Espírito Santo. Jamais cometem o mal;
Entidades secundarias: Orixás (santos católicos) são semideus. Participam da bem-aventurança divina, mas não fazem parte da natureza divina;
Entidades terciarias: Eguns e Exus. Os Eguns são desencarnados como a ordem dos Pretos - Velhos, dos Caboclos e das Crianças. Os Exus (semelhante ao Satanás para os cristãos) são espíritos do mal e habitam a terra.
Share on :

0 comentários:

 
© Copyright O JACUÍPE 2016 - Some rights reserved | Powered by Admin.
Template Design by S.S. | Published by Borneo and Theme4all