terça-feira, 1 de dezembro de 2015

VEJA COMO VOCÊ CONSTRÓI SUA PRÓPRIA POBREZA

Atualizado em 04.01.2016


PARTIDOS POLÍTICOS: interesses pessoais e de Classes Sociais

Neste momento primordial de debate sobre a cidadania, este texto pretende ser um espaço aberto às várias tendências do pensamento político-partidário brasileiro e da ação ideológica em todo o mundo, que têm como principal objetivo o fim da exploração do homem pelo homem. Defendendo a construção de sociedades livres dos erros do passado, mas cujas experiências fazem parte do processo de luta pela edificação de um mundo, não apenas melhor, mas verdadeiramente humano. A prática abre novos caminhos de lutas e desafios teóricos. Os patrões tentam aprovar leis que aumentem seus lucros, enquanto, os trabalhadores lutam por leis para reduzir sua exploração pelos patrões e garantirem seus direitos trabalhistas e sociais. Veja abaixo as classes sociais reconhecidas pela Carteira de Trabalho - patrão, empregado e intermediaria - e seus respectivos partidos políticos no Brasil:
  
Classe dos Patrões (empresários e fazendeiros):
PMDB, DEM, PSDB, PSD, PP, PDT, PTB, PR, PSB, SD, PROS, PPS, PV, PRB, PSC, PHS, PTN, PTC, PMN, PTdoB, PPL, PRP, PRTB, PSDC, PSL, PEN.

Classe Média (Médicos, Advogados, Dentistas, Contabilistas, Engenheiros, pequeno empresário e fazendeiro...): PT.

Classe dos Des - Empregados (assalariados do campo e da cidade, sem terra, sem teto, estudantes, a  juventude, a multidão empobrecida...): PCdoB e PSOL. 

Em qual dessas classes você faz parte ou se enquadra? Saiba quais interesses você escolherá em uma eleição para representarem os de todos os moradores: Capitalistas (patrões) e Socialistas (empregados).
1- Capitalismo (Liberalismo): Ideologia da classe dos patrões. Conjunto de ideias e práticas política-econômicas que defende às riquezas produzidas pelo trabalho humano como privilégios reservados apenas aos patrões. É favorável que os empregados sobrevivam em favelas e palafitas enquanto os patrões (Exploradores) vivem nos palácios e bairros nobres. Conforme suas ações os capitalistas podem ser: conservadores, social-democratas, ambientalistas e filantrópicos (assistencialista). Os filantrópicos não se organizam em partidos políticos, mas nas Organizações Não-Governamentais – ONGs e se atrelam a um partido ou outro. Volta e meia elas recebem verbas do Estado. Seus interesses são representados pelos seguintes partidos: PMDB, DEM, PSDB, PSD, PP, PDT, PTB, PR, PSB, SD, PROS, PPS, PV, PRB, PSC, PHS, PTN, PTC, PMN, PTdoB, PPL, PRP, PRTB, PSDC, PSL, PEN.

a) Conservadores: são adeptos da ausência de controle do Estado sobre a economia e as desigualdades sociais, ou seja, defendem que a sociedade deve ser regulada pelos empresários. Geralmente fazem uma fusão das crenças – ideias – religiosas rígidas com as ideias capitalistas. São favoráveis ao uso da força militar para evitar que os movimentos sociais e sindicais cheguem ao poder. Os principais partidos dessa tendência são: DEM, PSD, PP, PTB, PR, PRTB, PSC, PSDC, PTC.
b)  Social - Democrata (Reformadores do Capitalismo): De orientação de centro-direita. Aceita a coexistência das classes em harmonia e sem graves distorções. "Toda a atividade prática da democracia social está dirigida no sentido de criar circunstâncias e condições que tornem possível e garantam uma transição (isenta de erupções convulsivas) da moderna ordem social para outra mais evoluída." Bernstein. Considera que as transformações políticas deveriam se realizar de forma progressiva e lenta, sem ruptura do regime democrático e dentro do sistema da economia capitalista ou de mercado. Como melhorar as condições de vida dos empregados na sociedade capitalista se os patrões permanecem enriquecendo com a exploração da força de trabalho barata, condenando os trabalhadores à miséria? O PSB é um dos principais representantes da socialdemocracia no Brasil. Não se fundamenta em uma base de trabalhadores consistente. Prega a implantação gradual e evolutiva do Socialismo, compreendendo períodos de avanço e de retrocessos, segundo o esquema normal da rotatividade democrática. Acreditando na pregação e na conscientização, optando pelo caminho do convencimento e do voto. Faz coligação com o núcleo conservador como DEM e PSDB. A via eleitoral não favorece só aos patrões que tem mais capital para alienar o eleitorado? Em nível mundial existe a Internacional Socialista.  PSB, PDT, SD, PPS, PMDB, PSDB.
c)  Ecologistas (Ambientalistas): No Brasil existem três partidos com essa tendência ideológica são eles: PV, REDE Sustentabilidade e o PEN. De base ideológica ecológica, o PV, foi fundado em 1986. Os integrantes do PV lutam por uma sociedade capaz de crescer com respeito à natureza. São favoráveis ao respeito aos direitos civis, a paz, qualidade de vida e formas alternativas de gestão pública. Mas mantendo a estrutura da sociedade patronal. Lutam contra as ameaças ao clima e aos ecossistemas do nosso planeta. O PEN foi fundado em 2012. Os três partidos de base ecológica fazem coligações com os destruidores da natureza como fazendeiros e empresários. Onde ficam os princípios ecológicos defendidos por eles? PV, REDE Sustentabilidade e PEN.
 2-  Socialismo: conjunto de teorias socioeconômicas e práticas políticas que defendem o acesso para todos os seres humanos à alimentação, à produção e distribuição de riquezas resultantes do trabalho humano, principalmente para a parcela da sociedade que sobrevive da venda de sua força de trabalho (Empregados). Conforme a atitude os socialistas podem ser: moderado, revolucionário e extremado. Cada um segundo sua capacidade (qualificações) receberá segundo o seu trabalho (horas trabalhadas ou produção): PCdoB, PSOL e PT.
a) Socialismo Moderado (Fabianismo Inglês / Trabalhismo): Ideologia da classe Média. De orientação de centro-esquerda. Coliga com patrões. É contra a ideia da revolução social dos trabalhadores para derrubar a exploração e desumanização do ser humano pelos patrões. Seu objetivo mais amplo é promover reformas sociais e políticas pacíficas sem alterações das relações econômicas e sociais na vida dos empregados (proletário). O conteúdo e a prática dessa vertente socialista – o socialismo democrático - são mais avançados do que dos sociais democratas, por defenderem reformas constantes da sociedade burguesa (patrões). Mas, ela é contrária a desapropriação dos patrões através da revolução social para construir a nova sociedade, a qual todos serão trabalhadores. Eles propunham a transformar gradualmente a sociedade burguesa e o Estado em instrumento de benefício para o povo, com a implantação de ciclos reformistas sem eliminar a burguesia e o sofrimento da classe trabalhadora e das camadas populares. Será que isso é possível na presença dos patrões, principal parasita da classe trabalhadora? Essas reformas beneficiam quem se os empregados continuam sendo explorados pelos patrões? O PT é o principal partido representante desta tendência ideológica no Brasil. Em âmbito mundial existe o Foro de São Paulo.
PT- Partido dos Trabalhadores. Quem são esses trabalhadores: os membros da classe média ou da classe pobre? O PT inspira no Partido Trabalhista da Inglaterra. Por o momento histórico mundial não ser favorável à construção da sociedade proletária (igualdade econômica, jurídica e política para todos os seres humanos) forçou o PT se afastar dos interesses da classe trabalhadora e do sindicalismo para adaptar seu ideário trabalhista a serviço das exigências impostas pela globalização da economia atual e do poder. Na busca por uma saída, essa pressão fez aceitar e incorporar as forças capitalistas de mercado como orientadora da vida econômica e das políticas públicas. Optando pela busca de uma posição de destaque para o Brasil na economia mundial, como alternativa, sem alterar a situação de empregados (explorados) dos trabalhadores e distanciando das convicções da classe trabalhadora de origem. Qualquer crítica aos governos do PT deve considerar quatro aspectos: a falta de maioria política no parlamento, a descrença mundial com a esquerda isola no contexto internacional, a limitação do plano de governo forçada pelo contexto econômico internacional e as consequências da escravidão, do coronelismo e da ditadura militar sobre a sociedade brasileira. Eles limitam o poder de operação do Estado. O PT não apresenta uma discussão teórica profunda em seus documentos sobre o Socialismo, deixa vaga e livre suas interpretações pelos dirigentes e militantes, possuindo várias orientações conforme os interesses pessoais de cada membro. Os governos do PT vêm se esforçando para reduzir as desigualdades sociais com os programas de reparação social (bolsa família, bolsas universitárias, cotas raciais nas universidades públicas e concursos...), controle da inflação, geração de emprego, qualificação técnica da mão-de-obra para inserir no mercado competitivo. O "modo petista de governar" caracteriza pela adesão reformista aos princípios capitalista e as reformas pacíficas da sociedade burguesa por meio da gestão participativa. Pretende-se com isto incentivar a participação da sociedade civil na gestão pública. Salvando as fortunas dos milionários do colapso social, patrocinado pelo aprofundamento entre ricos e pobres, promovido com a III revolução industrial em curso. Acomodando a população com a expectativa na vinda de uma vida melhor para todos por via das reformas. Será? O partido (PT) apresenta dividido internamente em várias tendências (vertentes ou correntes), favorecendo a predominância dos interesses pessoais dos líderes dentro do partido. Quando cada uma vai se separando dão origem a outros partidos como exemplo: PSTU, PCO, PSOL e REDE Sustentabilidade.

b) Socialismo Revolucionário (Marxismo-Leninismo): Ideologia da classe trabalhadora (Empregados). Defende que a nova sociedade será construída pelos próprios trabalhadores e não por patrões. "Em 1847 entendia-se por socialistas duas espécies de pessoas. De um lado, os partidários dos diversos sistemas utopistas [...] De outro lado, os  mais variados charlatães sociais [...] Em contrapartida, aquele sector dos operários que, convencido da insuficiência de meras revoluções políticas, exigia uma profunda transformação da sociedade, esse sector chamava-se Comunista [...] Em 1847, socialismo significava um movimento burguês, comunismo um movimento operário" F. Engels. O último defende a derrubada da exploração dos patrões pelos empregados, substituindo por igualdade econômica, jurídica e política para todos os indivíduos. "Uma classe oprimida é a condição vital de toda sociedade fundada no antagonismo entre classes. A libertação da classe oprimida implica, necessariamente, a criação de uma sociedade nova. Para que a classe oprimida possa libertar-se, é preciso que os poderes produtivos já adquiridos e as relações sociais existentes não possam mais existir uns ao lado de outras" K. Marx.Visa uma transformação profunda na sociedade com progresso ininterrupto, eliminando a propriedade privada (empresas), o fim da classe patronal e sua exploração, garantindo o direito à propriedade pessoal como: automóveis, roupa, obras de arte, casa, objetos pessoais. Onde todos serão trabalhadores.  "Para nós, não se trata de reformar a propriedade privada, mas de abolí-la; não se trata de atenuar os antagonismos de classe, mas de abolir as classes; não se trata de melhorar a sociedade existente, mas de estabelecer uma nova." Marx e Engels. Defende a intervenção do poder na economia (Capitalismo de Estado) para combater a pobreza. Orienta pelo internacionalismo econômico - fusão dos mercados nacionais formando o mercado mundial - em benefício do ser humano, e não do lucro como está em prática no mundo hoje. Contrário ao imperialismo da globalização capitalista, no qual, poucas nações ricas dominam as outras para favorecer os interesses de sua elite interna. Opõe-se a economia de mercado (oferta e procura) causadora da miséria social. Aceita coligações com alguns partidos de centro, seja, centro-esquerda ou centro-direita (Socialistas Moderados – Fabianos e Social-Democratas) dependendo das circunstâncias. Visando despertar na população a força inovadora  através das reformas dos governos sociais democratas contra o atraso socioeconômico e a pobreza provocada pela exploração dos patrões. Estimulando as contradições sociais que continuará se agravando até desencadear o colapso das instituições atuais. As coligações são importantes também para amortecer os contra-ataques dos inimigos  derrotados. O partido orienta pelos princípios da qualificação teórica e prática (acúmulo de  forças sociais: rupturas e continuidades,  execução das coligações, atualização constante da teoria, desenvolvimento contínuo das forças econômicas capitalistas para acelerar o crescimento das forças produtivas. Abrindo caminho para a implantação da nova sociedade – embora a escola de Frankfurt discorde deste princípio). Na busca de uma sociedade onde "cada um segundo sua capacidade" (qualificações e trabalho) receberá "segundo suas necessidades". Por não receber apoio dos patrões enfrenta dificuldades para custear o partido e financiar campanhas. Outro obstáculo são as disputas com os partidos aliados quando chegam ao poder para ocupar os cargos públicos. Nos países mais democráticos, a tomada do poder pode ser pacífica, através das eleições e mantido sob controle pelas coligações. Em outros fechados, a tomada do poder será através da rebelião social e mantido por,"ultimamente, as palavras 'ditadura do proletariado' voltaram a despertar sagrado terror ao filisteu social-democrata. Pois bem, senhores, quereis saber que face tem essa ditadura? Olhai para a Comuna de Paris: êis aí a ditadura do proletariado." F. Engels. Como conscientizar a massa popular e não doutrinar como fazem os núcleos que dominam os partidos e os movimentos sociais? É possível se construir outra sociedade sem pobreza, miséria e desigualdades? Não existe uma receita única e pronta para construir a sociedade menos desigual, por isso, os embates na prática garantem mais avanços do que o acomodo com a teoria. Assim a construção da nova sociedade passa tanto pelos embates ideológicos (nas universidades, faculdades, escolas, sindicatos, movimentos sociais, meios de comunicação, etc), a realização de coligações nas disputas eleitorais, as lutas dos movimentos sociaise sindicais quanto às disputas no parlamento burguês para criar leis favoráveis à classe que sobrevive da venda de seu trabalho. Ainda não se sabe qual desdobramento se tomará. Tudo está em aberto, indefinido e em construção, até mesmo, os princípios ou valores da nova sociedade. No nível mundial existe a Internacional Comunista. PC do B

c)  Socialismo Extremado (Trotskismo): Só aceita coligação entre agremiação do mesmo segmento. Existem algumas facções que nem entre si concordam. Fecham-se entre seus membros, pregam a revolução precoce ou buscam forçar a revolução social. "Para os países de desenvolvimento burguês retardatário e, em particular, para os países coloniais e semicoloniais, a teoria da revolução permanente significa que a solução verdadeira e completa de suas tarefas democráticas e nacional-libertadoras só é concebível por meio da ditadura do proletariado, que assume a direção da nação oprimida e, antes de tudo, de suas massas camponesas." Trotsky. Não percebe o que precisa ser feito no presente para amenizá-la a qualidade de vida da população e antecipar a transição da sociedade burguesa para a proletária. Limita-se a teoria sem ampliar as alianças para fortalecer a luta por outra sociedade. Ocupando espaços no Senado, na Câmara dos deputados, nas Assembleias estaduais e nas Câmaras de vereadores para enfraquecer a influência política dos patrões no parlamento e neutralizar a reação burguesa pela retomada do poder. A vida suporta agitação permanente? Em nível mundial existe a IV Internacional. Possuem representantes eleitos no Congresso Nacional: PSOL. Mas possui uma divisão interna entre várias tendências. Quando uma disputa eleitoral vai para o segundo turno entre um candidato dos patrões e outro candidato da tendência moderada ou revolucionaria, o partido se abstém. Geralmente não apóia aquele candidato que aproxima aos interesses da multidão empobrecida e dos empregados (o candidato da tendência moderada ou revolucionaria). Sem representantes eleitos no Congresso NacionalPSTU, PCB e PCO. Sem registro na justiça eleitoral: PCR e PCML. Algumas dessas legendas podem não se caracterizar como trotskistas, mas se aproximam desta tendência pelas suas práticas. 

3. Anarquismo: Não aceita nenhuma forma de poder centralizado, até mesmo, partido político ou instituição de pesquisa. Ou seja, nega qualquer coletividade hierarquizada e prioriza a vivência em grupos descentralizados. Esse modo de vida pode ser uma alternativa possível para a atual sociedade técnico-científica? "Enquanto os Estados existirem, as massas populares, mesmo nas repúblicas mais democráticas, serão escravas de fato, pois elas não trabalharão com vistas em sua própria felicidade e sua própria riqueza, mas para o poderio e para a riqueza do Estado." Bakunin. O modelo complexo de sociedade capitalista atual suportaria uma transição para agrupamentos humanos sem a presença do poder público? A rejeição da luta político-partidária, pelos anarquistas, dificulta a politização social para intervir na sociedade capitalista burocrática, ainda se negam a participar da criação de leis favoráveis aos trabalhadores e dos embates no parlamento burguês (Senado, Câmara dos deputados, Assembleias estaduais e Câmaras de vereadores). Atualmente, no Brasil, destaca-se o grupo BLACK BLOC.

Nem sempre quando se vota em um representante para governar está se votando apenas na pessoa. Geralmente por trás da pessoa concentra os interesses pessoais dela e da classe que ela faz parte ou da classe que o grupo político - partido - dela representa. O voto assume dupla função: representar os interesses pessoais do governante e os da classe social dele ou da classe social que o partido dele representa. Ainda no Congresso os partidos votam por bancada e não por pessoa, representando o interesse geral do partido e não da pessoa. De repente, seu voto passa a defender causas que você discordaria, sem que você esteja sabendo. Logo, quando se vota em um político o eleitor está indicando quais interesses predominará sobre os dos moradores: se são dos patrões - ricos ou dos empregados - pobres. Cuidado! Fique atento para o partido da pessoa que você vai votar. Pois, você pode estar votando contra seus próprios interesses, ou melhor, contra si mesmo. Pelos interesses do partido dela dá para você basear nas intenções do seu candidato. Tente descobrir quem está financiando a campanha dele. Pois, os empresários e fazendeiros financiam candidatos para depois de eleitos, eles defenderem os interesses daqueles. Ou seja, quando eles chegarem ao poder reprovar projetos de reforma agrária e cobranças de impostos. Campanha farta os patrões estão por trás, mas só aparece o candidato. 
Adaptação:

Enciclopédia Barsa
http://mundodosocialismo.blogspot.com.br/ - site pessoal do Prof. Aluízio Franco Moreira  
www.suapesquisa.com/partidos
www.sobresites.com/socialismo/partido1.htm


Leia mais clique aqui 

 19.02.2015
Share on :

0 comentários:

 
© Copyright O JACUÍPE 2016 - Some rights reserved | Powered by Admin.
Template Design by S.S. | Published by Borneo and Theme4all