domingo, 3 de julho de 2011

Os Números e os Fatos que Desmentem os Discursos

Vergonha para os governos do ex-prefeito Baixa Fria, da atual prefeita Gel (PMDBFL) e respectivos aliados! Juntos governaram o município de Antonio Cardoso por 14 anos e 6 meses.

A População do Município de Antonio Cardoso (área territorial 294,450 Km²) reduziu na última década (entre 2000 – 2010), segundo constatação do censo do IBGE de 2010. Caindo de 11.620 (2000) para 11.554 (2010), perdendo 66 moradores. Uma das provas que o município não está desenvolvendo. Ressalta-se que a quantidade dos que vivem diariamente no território é inferior a esse valor. Por serem considerados como moradores pelo censo 2010 aqueles que “ausentes na data de referência, tem o domicílio como residência habitual, desde que essa ausência não seja superior a 12 meses”. Manual do Recenseador, Censo 2010. Nessas condições é provável que no município de Antonio Cardoso não viva diariamente 8 mil (8.000) moradores. Pois, boa parte trabalham em outras cidades e volta para casa nos finais de semanas, quizenalmente, mensal,... Outro dado interessenta é que muitos membros dos principais grupos políticos local, as vezes, não foram contados como moradores do município. Por suas residências principais serem em outros municípios e passarem maior parte do tempo por lá. Mas usam do município para se sustentarem.  

Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2010.














População TOTAL  11.554  pessoas  
População urbana  3.225  pessoas 
População rural  8.329  pessoas
Homens  5.734  homens 
Homens na área urbana  1.596  homens  
Homens na área rural  4.138  homens 
Mulheres  5.820  mulheres  
Mulheres na área urbana  1.629  mulheres  
Mulheres na área rural  4.191  mulheres  
Domicílios recenseados  3.635  domicílios  
Domicílios particulares ocupados  2.898  domicílios  
Domicílios particulares ocupados com entrevista realizada  2.897  domicílios
Domicílios particulares ocupados sem entrevista realizada  1  domicílios.   
Domicílios particulares não ocupados  736  domicílios  
Domicílios particulares não ocupados de uso ocasional  233  domicílios  
Domicílios particulares não ocupados vagos  503  domicílios  
Domicílios coletivos  1  domicílios  
Domicílios coletivos com morador  -  domicílios   
Domicílios coletivos sem morador  1  domicílios  
Média de moradores em domicílios particulares ocupados  3,99  moradores  

Distribuição de moradores entre os principais distritos:

Distrito de Umburanas (atual Antonio Cardoso)    1.423
Distrito de Jacuípe (Santo Estêvão velho)                  1.328

Distribuição de moradores por Cor ou Raça em %:

Preta.................... 50,7%
Parda..................... 41%
Branca.................... 7,4%
Indígena.................. 0,79%
Amarela.................. 0,11 %

Levando em conta a evolução da população local nas duas últimas décadas: 1991- 2010, os indicadores denuncia com clareza que algo vem ocorrendo de forma anormal por existir um crescimento mínimo, mas não permanente e em seguida declina.

Década       Quantidade de  Moradores
1991                      11.328
2000                      11.620
2010                      11.554

Fonte: IBGE

O aumento permanente da população é interdependente ao desenvolvimento econômico e geração de emprego. Como a economia municipal estar estacionada (estagnada) no tempo acaba provocando o desgaste dos indicadores sociais. Devido o motivo do aumento nos custos de sobrevivência não sendo acompanhados na mesma proporção pela melhoria da renda. Forçando os moradores migrarem para outras cidades que geram empregos. O que fazer para acabar com a dependência da economia local com outros municípios e alavancar seu desenvolvimento? A Prefeitura local fazendo as compras públicas em outros municípios pagando impostos e gerando empregos para fora! Desse jeito o argumento da atual prefeita Gel tem fundamento “nenhum prefeito desenvolverá o município de Antonio Cardoso”.

Enquanto os municípios que buscam seu desenvolvimento inclusivo aumentaram sua população. Anguera município com área territorial de 177 Km² e menor em população que o nosso aumentou de 8.834 em 2000 para 10.242 habitantes em 2010. Cabaceiras do Paraguaçu, sua área territorial de 226 km2 também aumentou sua população de 15.547 habitantes em 2000 para 17.327 moradores. Conceição da Feira (aumentou a população de 17.514 em 2000 para 20.391 habitantes em 2010, com uma área territorial de 163 km2) evolui seus indicadores econômicos e sociais com avicultura, embora, ainda não dispertaram para suas consequências ecológicas. O que nos impede de forma planejada? E a peixicultura (criação de peixes em cativeiro) e a fruticultura. O que está acontecendo com o município de Antonio Cardoso? A falta de interesse político dos governantes e a mesquinhez dos moradores em só acreditarem no pronto e em quem apresenta soluções fáceis que emperra.

O que leva um município reduzir a quantidade de moradores? Falta de condições de sobrevivência. Mas não dizem: “o município está desenvolvendo”! O quê? O avanço das drogas que ocupam o lugar da alimentação e da cultura, o analfabetismo virtu-funcional, uma juventude sem objetivo, corrupção das instituções...! Alternativa de política pública do governo municipal: Toque de Recolher! Mais uma década perdida para o município de Antonio Cardoso. Os governantes locais precisam responderem para os moradores aonde o município chegará? Cadê as políticas públicas de  desenvolvimento dos principais grupos políticos (um liderado pelo ex-prefeito Baixa Fria e seus ex-aliados e o outro pela atual prefeita Gel e seus aliados)  que sempre governaram o município? Afinal eles governam para os moradores ou para suas “panelinhas” que nem moram no município, só conhecem no final do mês? Desde sua origem a Prefeitura Municipal e a Câmara de Vereadores não se transformaram em agências de empregos para os governantes municipais, familiares e amigos que não pagam impostos municipais?
O pior que 61% da população do município encontra-se na faixa entre a linha da pobreza e indigência (miséria). (Fonte:Portal ODM:Acompanhamento Municipal dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Relatório Dinâmico, Indicadores Municipais.). Isso que constrói a força eleitoral do ex-prefeito Baixa Fria, da atual prefeita Gel, do vereador Zequinha e outros. Cadê os frutos dos governos municipais passados? São essas tragédias que muitos dizem que governaram bem? Por distribuirem “milho” em época eleitoral!
A melhoria de alguns indicadores sociais do município foram decorrentes dos paliativos emergenciais do Governo Fedral. O poder municipal só beneficiou até hoje as “panelinhas” e seus respectivos protegidos. Veja detalhado abaixo:


Fonte: Censo Demográfico - 2010
                                            
“Para estimar a proporção de pessoas que estão abaixo da linha da pobreza foi  somada a renda de todas as pessoas do domicílio, e o total dividido pelo  número de moradores, sendo considerado abaixo da linha da pobreza os que possuem rendimento per capita menor que 1/2 salário mínimo. No caso da indigência, este valor será inferior a 1/4 de salário mínimo.” (Fonte:Portal ODM:Acompanhamento Municipal dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Relatório Dinâmico, Indicadores Municipais.)

“A participação dos 20% mais pobres da população na renda passou de 5,0%, em 1991, para 1,9%, em 2000, aumentando ainda mais os níveis de desigualdade. Em 2000, a participação dos 20% mais ricos era de 56,6% , ou 31 vezes superior à dos 20% mais pobres.”  (Fonte:Portal ODM:Acompanhamento Municipal dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Relatório Dinâmico, Indicadores Municipais.).

Distribuição da renda municipal entre os mais pobres e os mais ricos:

Fonte: IBGE - Censo Demográfico 2000

Enquanto isso veja quanto ganha cada governante municipal pago com seus impostos no mês:
        Prefeita R$................ ?
        Vice-Prefeita R$........ ?
        Secretário (cada) R$............ ?
        Vereador (cada) R$ ..............?

Ainda existe os diretores de Departamentos Públicos que varia conforme a decisão da prefeita.

Não foi possível ainda conseguir a distribuição da renda por Cor ou Raça. Só a qualificação profissional e a geração de empregos reverterão essas causas de desgovernos. Qual têm sido a iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Social Cultura e Esporte no combate desse câncer desgovernamental? Mais uma agência de emprego para os protegidos do poder municipal visando o controle eleitoral dos mandatários de cada comunidade (em algumas nem moram mais no local, só aparecem nas ocasiões eleitoreiras como “salvadores” do inferno)?

Observa-se que 38.9% são os que estão acima da linha da pobreza. Exatamente os que fazem parte das “panelinhas” e seus respectivos protegidos. Fazem parte desse grupo, com rara exceção, os indivíduos que vivem de seus esforços independentes.
“Em 2010, o número de crianças pesadas pelo Programa Saúde Familiar era de 4.149; destas, 5,6% estavam desnutridas.
A distorção idade-série eleva-se à medida que se avança nos níveis de ensino. Entre alunos do ensino fundamental, 50,7% estão com idade superior à recomendada chegando a 50,3% de defasagem entre os que alcançam o ensino médio.
O IDEB é um índice que combina o rendimento escolar às notas do exame  Prova Brasil, aplicado a crianças da 4ª e 8ª séries, podendo variar de 0 a 10.
Este município está na 5.067.ª posição, entre os 5.564 do Brasil, quando  avaliados os alunos da 4.ª série , e na 5.304.ª, no caso dos alunos da 8.ª série. Fonte:Portal ODM:Acompanhamento Municipal dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Relatório Dinâmico, Indicadores Municipais.).
Quanto maior a série mais defasada a colocação da educação municipal no ranking nacional. Triste não é!

 A taxa de mães adolescentes é de 20,8%. O percentual de mães com idades inferiores a 20 anos é preocupante. Na maioria dos casos, as meninas passam a enfrentar problemas e a assumir responsabilidades para as quais não estão preparadas, com graves consequências para elas mesmas e para a sociedade.” (Fonte:Portal ODM:Acompanhamento Municipal dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Relatório Dinâmico, Indicadores Municipais.).
Essa situação torna gravíssima no município por a economia local ser atrofiada e não gerar nenhuma oportunidade de emprego e renda. Geralmente são sustentadas pelos pais que recebem a aposentadoria do INSS ou Bolsa Família e muitos genitores são desempregados. Assim o esposo ou companheiro acaba não registrando os filhos para não pagar a pensão alimentícia.

A seguir  a evolução da população por sexo, cosiderando dois indicadores básico: crescimento vegetativo  e a expectativa média de vida nos anos 2000 e 2010. 



Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000.


Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2010.

Durante a década demonstra que a população está envelhecendo. Os governantes locais planejaram políticas para garantirem a qualidade de vida? Ou só os bolsos deles que devem serem sadios?
Não existe qualidade de vida com a biodiversidade arrasada. Nesse assunto a situação municipal é catastrófica. Mais angustiante ainda que a vegetação Caatinga, única reserva desse bioma no mundo e a Mata Atlântica praticamente já foram devastadas na região para fazer pastagem, fornecer lenha às padarias de Feira de Santana... A Secretaria Municipal de Agricultura, órgão competente  para fiscalizar essa área ficou inerte, apenas, como agência de emprego ou cargo político. “O município declara ter apresentado ocorrências impactantes observadas com freqüência no meio ambiente nos últimos 24 meses, com alteração ambiental  que tenha afetado as condições de vida da população.” (Fonte:Portal ODM:Acompanhamento Municipal dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Relatório Dinâmico, Indicadores Municipais.). Não se deve esquecer que o território possui a maior área da região submersa pela bacia do Paraguaçu e o leito dos rios estão assoreando. Além da poluição dos resíduos industriais principalmente da região metropolitana de Feira de Santana estarem ameaçando a vida dos afluentes e tornando a água inviável ao consumo humano. Os opressores podem consumirem água mineral a massa miserável beberão esgoto. Não está legal! Ninguém faz nada. O governo do estado da Bahia não existe na região. Os fazendeiros ditam as regras e os poderes públicos cumprem. Sabe-se que os governos dão importâncias aos problemas depois do agravamento para as empresas privadas superfaturarem os cofres públicos com os des-serviços. Um dia o dinheiro levará os homens a sua miséria inreversível. Esse dia não é agora e o homem ainda não percebeu! O que restará de espécies no planeta? A espécie medíocre humana que substituiu as vidas pelo dinheiro, em nome de uma civilização velada?

Outro desastre, quando se trata da conservação do patrimônio  histórico e cultural. Pois os casarões antigos estão próximos de extinguirem pelo abandono e estupidez das autoridades locais e dos moradores. Os documentos escritos pelas primeiras gerações da região nem se fala. Jogados pelas Comarcas. Até as tradições populares símbolo maior dos moradores sofrem com o desgoverno. Ora abandonadas, outras ofendidas para implantarem “valores” alheios que servem apenas de instrumentos de dominação popular. Como o estilo musical junino consolidado que conserva as raízes ancestrais tentam substituí-lo pelo forró da “modernidade” (lixo cultural dos dominantes ou cultura cafona). Cada investida deflagrada têm sido derrotada pelo “gosto” popular. Interessante que os moradores percebem quando querem desculturalizarem e abandonam algumas opções ditadas. Pelo menos isso, tem sido um orgulho coletivo por seus valores locais. Um povo manifesta sua existência por meio da singularidade plural (ou pluralidade singular) de sua cultura. Para quê cultura se a ignorância dar lucro aos eleitores(?!) e garante eleição aos políticos? Alguns nem entendem o que é isso, outros que dizem entenderem ignoram. O que as gerações mostrarão de legado dos antepassados para seus descendentes? Nada! Também não estão se transformando num nada, onde o que tem importância é o dinheiro?

Sabe-se que a Câmara de Vereadore é o órgão responsável para elaborar e aprovar Leis e Projetos. Em benefício de quem? Como aprovaram o IPTU (governo do ex-prefeito Baixa Fria) e a CIP(Contribuição de Iluminação Pública)- no 1º mandato de Gel- para tirar as últimas migalhas de quem não têm? Claro! Gerar mais dinheiro para empregar mais protegidos e forasteiros (moradores de outros municípios que dominam a política local). Enquanto muitos deles nem pagam esses impostos para o município. Diante dos desafios da sociedade local, quais as alternativas que a Câmara de Vereadores do município de Antonio Cardoso têm apresentado? Qual é a causa que cada vereador defende? Oferecer favores e migalhas? A mentalidade política local caracteriza de forma colonizada no âmbito cultural, jurídico, econômico e político. Presa aos interesses da oligarquia do ADRO (cidade de Santo Estêvão) e alguns filhotes herdeiros do coronelismo de Feira de Santana e São Gonçalo dos Campos. A multidão pobre e analfabeta sempre foi manipulada e manobrada por eles até hoje para conseguirem seus interesses. Em nada favorecendo aos mais pobres. Dominam por suas necessidades. Compram os mandatos na mão dos cidadãos inocentes, dando-lhes em troca dos seus votos exames, favores e migalhas. E a Lei! Cadê? Usufruem do único crédito que resta aos moradores para sobreviverem: o voto. Os quais garantem suas eleições, proporcionando-os acumularem da máquina pública valores superiores aos gastos com os favores. Essas práticas que estimulou as distorções sociais e a atual concentração de renda no município. Hoje está diferente?
O poder legislativo local (Câmara de vereadores) serve apenas para ratificar os acordos preliminares. Não tem poder de decidir nada, fazem o que os chefes das oligarquias dos municípios vizinhos mandam. Contrariando os interesses dos moradores, mas satisfazendo os anseios pessoais. Não representam os objetivos do município. O projeto de município acaba prostituído por intenções em proveito da minoria sustentada com os impostos dos moradores. Predominando nos órgão públicos municipais os forasteiros e os filhos da região que moram em outras cidades e só vem tirar proveito do poder local, ainda, aliam-se aos interesses externos para continuar colonizando o Município. Visando satisfazer seus interesses pessoais. Com essas atitudes e Posturas Políticas tanto dos governantes locais quanto dos moradores, qual será o desempenho do município na atual década? Está aí os frutos dos inimigos do município “adorados” (!?) pelos moradores. Em troca de quê? A sucessão municipal se aproxima e as cenas do filme começa se repetir. È momento dos políticos que antes não prestavam serem considerados deuses. Os aplausos do moradores surgem. Aplaudem o quê? Época de fartura: receber migalhas! E a vida? Ah! amanhã recomeça o drama.

Diante desse escândalo público, qual deve ser a posição das Escolas e dos Professores: ensinar conteúdos da cultura cotidiana da soci-edade ou adestrar os alunos com a programação ditada por grupos isolados da realidade? Ambos são controlados pelos governantes. Mas os salários dos professores não são pagos com os impostos do moradores? O que fazer? Os governos passam as pessoas ficam. O município é permanente, portanto, não  seria momento de possuirmos uma Agenda Municipal de Desenvolvimento Permanente (constituída por moradores independentes para  mapearem as aptidões da economia local, estabelecerem as diretrizes de desenvolvimento inclusivo municipal e fiscalizarem os governantes municipais  em seu cumprimento)? Valorizando a vida (saúde, água potável, educação, alimentação, emprego, cultura,...) e a conservação das diversidades. Ou seja, uma agenda governamental para o município e seus moradores e não para o futuro eleitoral dos políticos. Contrariando os projetos eleitoreiros de superfaturamento do dinheiro público para assegurar correligionários políticos.   Existe partidos com ideal de lutas no município ou “panelinhas” disfarçadas de partido que volta e meia estão juntos para dividir os trossos, o que é meu, o que é seu, será só nosso” ? Una-se nessa cruzada.


Antonio Cardoso-BA, paraíso dos forasteiros (moradores de outros municípios que dominam a política local). Graças a maioria dos moradores que vendem os mandatos para eles.
Share on :

0 comentários:

 
© Copyright O JACUÍPE 2016 - Some rights reserved | Powered by Admin.
Template Design by S.S. | Published by Borneo and Theme4all